Incorporação de amostras de Plantas

O Herbário FLOR pode receber amostras por doação, sejam provenientes de outros herbários ou coletadas por qualquer pessoa que deseje ou precise incorporar amostras à coleção, como pesquisadores que necessitam depositar testemunhos de seus objetos de estudos para publicações científicas ou amostras resultantes de inventários e trabalhos de consultorias ambientais.

Os alunos do Curso de Pós-Graduação em Fungos Algas e Plantas, assim como os bolsistas e alunos de graduação em projetos do Departamento de Botânica, precisarão proceder todas as etapas da incorporação de todas as suas coletas e entregar as amostras montadas de acordo com o padrão do Herbário FLOR, descrito no link no final deste texto. Esse é um pré-requisito à obtenção do certificado de quitação de pendências com o Herbário FLOR.

Todos os demais coletores poderão entregar as coletas sem montar, desde que estejam adequadamente prensadas e secas, dentro de folhas de jornal e com uma ficha de identificação completa junto a cada coleta, de acordo com as instruções abaixo. Para essas coletas o processo de incorporação e montagem será feito inteiramente pela equipe de curadoria.

 

Procedimentos de coleta:

Ao fazer coletas de plantas para incorporar ao Herbário FLOR, preste atenção às informações importantes para a coleção:

  1. Somente serão incorporadas ao herbário plantas secas adequadamente, podendo-se descartar sem aviso material em condições precárias, tais como coletas incompletas, folhas muito enrugadas, irregularmente dobradas ou não completamente secas. Plantas estéreis ou pobremente representadas na coleta só serão incluídas quando houver especial importância em sua incorporação, como material muito raro ou ameaçado de extinção, a critério da curadoria que avaliará caso a caso;
  2. Tenha o cuidado de observar em campo as partes necessárias a coletar (consulte seu orientador);
  3. Elimine toda a terra e sujeiras do material (entregar exsicatas cheias de terra chega a ser falta de respeito…)
  4. Faça o possível para que a amostra caiba com folga dentro do espaço de uma folha de jornal (tamanho tabloide), afinal esse será o tamanho da exsicata. Se necessário dobre a planta ou corte-a em algumas partes, acondicionando-as em mais de uma folha de jornal;
  5. Prense e seque assim que coletar para que a planta não estrague. Se estiver em excursão e não tiver uma estufa de campo, troque os jornais diariamente. Use prensas adequadas, placas de papelão e alumínio corrugado.
  6. Anote as informações importantes para a coleção:
    • nome científico (família, gênero, espécie e autor) se souber;
    • nome popular, se souber informar;
    • nome da pessoa que determinou a espécie (quem falou para você quem ela é!);
    • data de determinação;
    • nome dos coletores, acompanhado de número de coleta do primeiro coletor, se houver;
    • data da coleta;
    • local de coleta, detalhando a localidade ou acidente geográfico (morro, rio, etc.), município, estado, país;
    • coordenadas geográficas e altitude;
    • observações de ambiente, habitat, aspectos biológicos, tipo de vegetação, hospedeiro (no caso de fungos, plantas parasitas, epífitas e trepadeiras);
    • informações referentes ao espécime que não possam ser observadas na exsicata, como cores, odor, sabor, textura, presença de látex ou exsudatos, porte, altura, etc.;
    • informações sobre o projeto ou trabalho ao qual destina-se a coleta (nome do projeto, nome dos pesquisadores envolvidos, orientador, instituição…) – Este item é especialmente importante para materiais que necessitam voucher para citação em artigo científico;
    • É obrigação do pesquisador comunicar ao herbário quando o material a ser depositado for utilizado em estudos de acesso ao patrimônio genético (DNA) (informe isso na própria ficha de coleta).

Veja abaixo vídeos curtos explicando procedimentos de coleta e herborização de alguns tipos de plantas (Esses vídeos foram produzidos para o Herbário Rioclarense – HRCB da UNESP-Rio Claro, reproduzidos aqui apenas para ilustração):

 

Instruções para a incorporação de amostras e montagem das exsicatas – (etapa obrigatória para alunos da pós-graduação Pós-Graduação em Fungos Algas e Plantas e alunos de projetos no Departamento de Botânica):

Veja abaixo como proceder: